Através do desenvolvimento de uma teoria apoiada no narcisismo, Kohut criou a psicologia psicanalítica do self, que oferece um valioso recurso teórico e técnico ao profissional da área psicológica quando o coloca diante do que Kohut chamou de psicologia total do indivíduo ou princípio da complementariedade psicológica: a psicologia do homem culpado (a psicologia dos conflitos da psicanálise clássica) e a psicologia do homem trágico (a psicologia à margem dos conflitos da psicologia do self). Esta visão introduz uma concepção diferenciada à psicanálise,  pois inclui a visão humanista do ser humano.

 

A psicologia psicanalítica do self foi introduzida no Brasil pela Dra. Inaura Carneiro Leão, médica psicanalista didata, fundadora e membro efetivo da Sociedade Brasileira de Psicanálise do Rio de Janeiro, em 1980, após o Simpósio de Psicologia Psicanalítica do Self no mesmo ano.

 

Por ser uma teoria, toda ela, construída “em cima” da experiência, ou seja, “em cima” daquilo que analista e paciente sentem; e, ainda, por introduzir o “colorido” da visão humanista na psicanálise, ela estaria, mesmo que de forma indireta e não explícita, bastante integrada com a ciência do Sentir.

 

 

Beatriz Breves

Rio de Janeiro

 

 

 

 

 

 

Heinz Kohut

Departamento de Psicanálise